Inscrições para o Prêmio de Jornalismo Rei da Espanha

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

A Agência Efe e a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid) abriram, nesta segunda-feira (18), as inscrições para o Prêmio Internacional de Jornalismo Rei da Espanha, que irá para a sua 34ª edição. Na última edição, a equipe de jornalismo da Record foi premiada com reportagem especial ‘As Eternas Escravas’, que foi ao ar em junho de 2015.

Segundo o site da Agência EFE, poderão se inscrever jornalistas dos 22 países ibero-americanos, entre eles o Brasil, além de Angola, Cabo Verde, Estados Unidos, Filipinas, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Israel, Marrocos, Moçambique, Andorra, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

O prêmio é patrocinado pelo grupo internacional OHL e será distribuído nas categorias, Imprensa, Rádio, Televisão, Fotografia, Jornalismo Digital e Ibero-Americano.

Será concedido pela quinta vez o Prêmio Especial Ibero-Americano de Jornalismo Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, que conta com o patrocínio da Fundação Aquae.

Para concorrer à 34ª edição do Prêmio Internacional de Jornalismo Rei da Espanha, é preciso inscrever trabalhos publicados em língua espanhola ou portuguesa, entre 1º de setembro de 2015 e 31 de agosto de 2015. Eles deverão ser enviados à Efe em Madri, às delegações da Agência nos países que podem participar do prêmio ou às embaixadas da Espanha nesses países antes do dia 30 de setembro.

A decisão do júri deve ser divulgada em janeiro de 2017. Na página da Agência Efe na internet (www.efe.com) é possível consultar mais informações sobre o prêmio. Serão distribuídos aos vencedores, no total, 42 mil euros – 6 mil euros por categoria – e uma escultura em bronze do artista Joaquín Vaquero Turcios.

O Prêmio Internacional de Jornalismo Rei da Espanha tem como objetivo reconhecer o trabalho dos profissionais do jornalismo de língua espanhola e portuguesa dos países que formam a Comunidade Ibero-Americana de Nações e dos países com os quais a Espanha mantém vínculos históricos e culturais.

Foram abertas também as inscrições para a 13ª edição do Prêmio Don Quixote de Jornalismo, patrocinado pelo grupo Tragsa, e que avalia a qualidade linguística, o bom uso e o enriquecimento do idioma espanhol.

Record fatura prêmio da última edição

A equipe de jornalismo da Record recebeu em Madri, capital espanhola, no último dia 13, o Prêmio Rei da Espanha da 33ª edição. O grupo foi representado por Rafael Gomide (chefe de redação), Gustavo Costa (editor-executivo) e Marcelo Magalhães (editor). O reconhecimento foi dado para a reportagem especial As Eternas Escravas, que foi ao ar em junho de 2015, no Repórter Record Investigação, apresentado pelo presidente da ABI, Domingos Meirelles.

O site R7 publicou que a produção especial da Record disputou com outros 42 trabalhos e venceu por unanimidade. O júri do concurso avaliou a elegância da linguagem visual e a capacidade de resumir múltiplos problemas sociais em uma reportagem. A denúncia exibida no programa foi acolhida pelas instituições políticas brasileiras, que pediram providências ao governo de Goiás.

O rei da Espanha, Felipe VI, que presidiu a cerimônia de entrega do Prêmio, elogiou o jornalismo profissional, um ofício no qual afirmou crer “firmemente” porque exerce uma função necessária, insubstituível e essencial em qualquer sociedade democrática ciente de seus direitos e liberdades.

“Acredito firmemente em vossa profissão”, disse o monarca aos jornalistas em seu discurso de encerramento, no qual avaliou a “importante função social” do jornalismo aos cidadãos, por contribuir com “rigor, informação e chaves para entender melhor o que ocorre no mundo”.

Em 2015, a reportagem também ganhou o Prêmio Esso de Telejornalismo (atualmente conhecido como Prêmio Exxonmobil de Telejornalismo), competição considerada referência no jornalismo brasileiro. E mais: A matéria ainda levou o 32º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo.