Jads e Jadson atraíram multidão para 43ª Exporã

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

“Nós temos uma gratidão muito grande por Ponta Porã, moramos aqui por mais de 20 anos, o nosso muito obrigado”, mencionaram Jads e Jadson

Antes de subir ao palco da 43ª Exporã no Parque de Exposição Alcindo Pereira, a dupla Jads e Jadson recebeu a Imprensa no camarim na noite de sábado (11/03) para falar do retorno a Ponta Porã, trazendo na bagagem o novo sucesso “Quem aguenta”.

“É um honra estar aqui, é sempre muito bom voltar pra casa, rever os amigos, pois plantamos uma semente aqui, nos participamos de muitas Exposição, Festivais; estamos muitos felizes de trazer o nosso trabalho para Ponta Porã, estamos felizes de voltarmos para casa”, mencionou Jads Paulo Alves dos Santos e Jadson Alves Dos Santos em entrevista ao radialista Tião Prado e ao jornalista Lile Corrêa.

Jadson falou que o “não tem muita receita para o o sucesso, é preciso ter muita fé em Deus e trabalhar bastante, nós acreditamos no estilo, desde o começo da nossa carreira, sem se preocupar com o modismo, nós temos uma identidade diferente”.

Ao ser questionado em ser o sucessor do Tião Carreiro, Jadson afirmou “Tião Carreiro era uma cara diferenciado, é uma honra ser comparado com ele”.

Ao finalizar os irmãos Jads e Jadson enviaram um recado para os fãs brasileiros e paraguaios “nós temos uma gratidão muito grande por Ponta Porã, moramos aqui por mais de 20 anos, o nosso muito obrigado à todos que vieram no show”.

Quando subiram ao palco Jads e Jadson visualizaram 5.511 fãs brasileiros e paraguaios que cantaram em “coro” os sucessos da dupla que nasceu em Catanduvas no Paraná, mas viveram por 20 anos em Ponta Porã na fronteira com Pedro Juan Caballero (Paraguai).

O pai da dupla, José Alves “Zé da Viola”, que foi presidente do Sindicato Rural de Ponta Porã,  subiu ao palco e soltou a voz com os filhos. A dupla chamou ao palco o Trio Voz Nativa destacando o talento dos irmãos Waldinei Ruiz,  Jonas Eduardo e Paulo Henrique.

Homenagem especial ao radialista Jarbas Pereira de Oliveira, voz padrão da Exporã por 41 anos, recebeu o aplauso do público presente.

Jads e Jadson possuem um estilo único, que inclui vocais graves e uma temática ligada ao universo do morador do interior. A dupla gravou o primeiro disco em 2003 e, desde então, vinham crescendo. Mas o “estouro” só aconteceu em 2012, com a música “Jeito Carinhoso”. O estilo da dupla é a marca registrada do novo trabalho, “Diamante Bruto”, que dá nome a turnê que passará em Ilha Solteira em outubro. Nele, ‘Bruto e Capiau’, ‘Calma Pra Quê?’, ‘Explícita’ e ‘Zé Trovão’.

Jads e Jadson também ganharam destaque fazendo versões de músicas da Pitty, “Na Sua Estante”, e de Wanessa Camargo, “O Amor Não Deixa”. E no novo trabalho eles apresentaram a versão sertaneja de “Lágrimas e Chuva”, do Kid Abelha.

No show o que se viu foi uma ótima performance dos violeiros que cantaram: Zé Trovão com 27.976.741 visualizações no You Tube, Se Toca Essa Moda com 16.665.581 visualizações, Noite Fracassada com 71.657.232 visualizações, Jeito Carinhoso 65.207.727 visualizações, Planos Impossíveis com 29.311.589 visualizações no You Tube.

Fotos: Matheus Corrêa