Jornal que defende distanciamento sofre atentado no interior de São Paulo

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print
Redação Portal IMPRENSA
Criminosos colocaram fogo na redação do jornal Folha da Região de Olímpia na madrugada desta quarta (17). Situado no interior paulista, o local também abriga a sede da Rádio Cidade, do portal Ifolha e a casa do jornalista responsável pelos veículos, José Antonio Arantes, que também foi atingida pelo fogo.
Segundo Arantes, os criminosos colocaram fogo nas portas do jornal e da casa usando um líquido inflamável. O incêndio começou por volta de 4h30. Ainda de acordo com o jornalista, o atentado pode ser uma retaliação de comerciantes da região ao apoio editorial que o jornal, a rádio e o portal têm dados às medidas de distanciamento social adotadas pela prefeitura da cidade no enfrentamento à pandemia.
Crédito:Reprodução

Texto publicado nesta quarta no portal iFolha informa que comerciantes locais recentemente tentaram conturbar uma live do programa ‘Cidade em Destaque'”, que Arantes apresenta com sua filha Bruna.

“Alguns comerciantes genocidas e ‘negacionistas’ (…) se organizaram não só para fazer manifestação e passeata com aglomeração em meio ao pior momento da pandemia, mas também para tentar prejudicar e interferir para conturbar a live do programa ‘Cidade em Destaque'”, informa o texto.
O prefeito de Olímpia, Fernando Cunha, publicou uma nota oficial se solidarizando com o jornalista e sua família.
“Em um momento de tamanha comoção pública, que o país todo enfrenta o seu maior desafio para salvar vidas, é inaceitável e de profunda indignação e tristeza presenciar atitudes como essas. Dessa forma, o município acrescenta que diante da suspeita do incêndio ter sido criminoso, devido às características da ocorrência, a Prefeitura acompanhará a investigação da polícia e irá colaborar no que for necessário para a elucidação dos fatos”, afirma a nota.
O trabalho de investigação da Polícia Civil deve começar pela análise das imagens de segurança da região central da cidade e de estabelecimentos próximos. Até agora, ninguém foi preso.