Jornalista Denilson Pinto morre por Covid-19 em Campo Grande

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print
Ele compôs a equipe do Correio do Estado na década de 2000, como editor de polícia e do interior
Gabrielle Tavares*

Jornalista Denilson Pinto, de 53 anos, faleceu na segunda-feira (29) por complicações da Covid-19. Após nove dias internado no Hospital El Kadri, em Campo Grande, havia apresentado melhora no quadro de saúde e seria retirado da ventilação mecânica, mas sofreu uma parada respiratória durante procedimento de extubação.

Ele compôs a equipe do Correio do Estado na década de 2000, como editor de polícia e do interior. Suas reportagens eram caracterizadas pelo jornalismo investigativo, que o levou até o Haiti para série de reportagens especiais entre 2006 e 2007.

O jornalista Ademar Cardoso de Andrade, que trabalhou junto a Denilson na redação do Correio do Estado, lamentou a perda em suas redes sociais. “Seu legado, hoje, já é suficiente para melhorar a vida de seus semelhantes, em especial amigos, amigas e familiares. Sua partida desta terra, nos entristece”.

Andrade ressaltou a animosidade sempre presente no semblante de Denilson, e disse que esses momentos alegres darão força para encarar o luto. “Ao jornalista, medalha de Honra ao Mérito! Ao amigo, troféu! Ao pai de família, trabalhador, parceirão para todas as horas, gratidão eterna!”, completou.

Denilson estudou na Universidade Estadual de Ponta Grossa e iniciou a carreira na assessoria de imprensa do então prefeito Juvêncio César da Fonseca, que teve os mandatos da Capital nos anos de 1986-1988 e de 1993-1996. O jornalista também atuou no mesmo cargo durante a administração do prefeito André Puccinelli, em 1996.

Atualmente, era proprietário da Brasil Marketing Digital, empresa destinada a prestar serviços com agências ligadas ao poder público, como prefeituras, Governo do Estado e estatais.

A empresa também atuava em marketing político de campanhas eleitorais, a última campanha que o jornalista trabalhou foi na de Enelvo Felini, para a prefeitura de Sidrolândia em novembro de 2020, que também testou positivo para Covid-19 e está internado em São Paulo.

Denilson deixa deixa esposa e filha. O Sindicato de Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS) publicou nota de pesar em homenagem ao jornalista. “Manifestamos nossos sentimentos a todos os familiares e amigos”.