Jornalista russo morre seis semanas após espancamento

Nikolai-Andrushchenko
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Jornalista russo morre seis semanas após espancamento

Jornalista russo Nikolai Andrushchenko. Foto: AP

Após ficar seis semanas em coma por ter sido espancado no mês passado, o jornalista russo Nikolai Andrushchenko, de 73 anos, faleceu nesta quarta-feira em São Petersburgo devido aos ferimentos da agressão. Em 2007, ele já havia sido espancado, mas os responsáveis de ambos ataques não foram identificados, informou a ABI.

O site do O Globo publicou que Andrushchenko, um dos cofundadores do jornal Novy Peterburg, era conhecido por suas críticas ao presidente Vladimir Putin e matérias sobre corrupção local. Além disso, o jornalista trabalhou em reportagens sobre direitos humanos e crimes diversos.

Os responsáveis pelo ataque ainda não foram identificados, mas o editor do Novy Peterburg, Denis Usov, acredita que tenha sido uma retaliação relacionada a matérias sobre corrupção na cidade escritas por Andrushchenko.

Em 2007, ele foi preso por difamação e obstrução de justiça devido à cobertura de uma investigação de assassinato, segundo o Comitê de Proteção aos Jornalistas. No entanto, os colegas de profissão afirmaram na época que a detenção teria ocorrido por causa do tom crítico nas matérias do Novy Peterburg sobre as autoridades locais nas proximidades das eleições parlamentares. Em novembro deste mesmo ano, ele foi espancado por pessoas não identificadas.