Jornalista vai à Justiça após ser bloqueado por Bolsonaro no Twitter

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print
Redação Portal IMPRENSA
Um jornalista que foi bloqueado pelo presidente Jair Bolsonaro no Twitter entrou com um mandado de segurança no STF.

Crédito:Reprodução
William de Lucca disse ter sido bloqueado em agosto, após comentar um post do presidente com uma foto em que ele presta continência à bandeira dos EUA: “Você está bem preocupado com interesses externos, né?”, escreveu.

“Um presidente não tem o direito de restringir acesso a informação e a liberdade de expressão das pessoas que não concordam com ele. Bolsonaro não pode suprimir opiniões diferentes das suas de suas redes porque as redes de mandatários são espaços de debate democrático”, disse William no Twitter.

Crédito:Reprodução
O mandado de segurança foi baseado em uma decisão da Justiça dos EUA, que determinou que o presidente Donald Trump desbloqueasse sete pessoas que havia vetado em suas redes.

“O presidente usa a rede social como um canal oficial do governo e não pode fazer isso”, afirma o advogado Antonio Carlos Carvalho, responsável pelo caso, em entrevista à coluna da Mônica Bergamo.