Jornalistas da Reuters são libertados por indulto presidencial

Redação Portal IMPRENSA*

Depois de 511 dias encarcerados em Mianmar, os jornalistas Kyaw Soe Oo e Wa Lone conquistaram a liberdade na madrugada de hoje (7). Os repórteres da agência Reuters foram beneficiados por indulto concedido pelo presidente da República, Win Myint.

Crédito: Reprodução/Fotomontagem RSF

Em comunicado, Stephen J. Adler, editor-chefe da Agência Reuters, comemorou a libertação. “Estamos enormemente agradecidos que Mianmar tenha libertados nossos corajosos repórteres. Desde sua prisão 511 dias atrás, eles se tornaram símbolo da importância da liberdade de imprensa no mundo. Nós comemoramos seus retornos”, disse.

A dupla estava presa desde dezembro de 2017. Eles foram detidos quando faziam uma reportagem sobre a expulsão em massa da minoria rohingyas e descobriram uma cova com corpos de homens assassinados com participação de membros da polícia local.

Oo e Lone foram acusados com base em uma lei de 1923 e condenados a sete anos de prisão. Dois apelos feitos por seus advogados haviam sido negados pela Justiça antes da decisão do presidente.

Responsável pelo escritório da Ásia-Pacífico da Repórteres Sem Fronteiras (RSF), Daniel Bastard afirmou que apesar de os dois repórteres nunca terem merecido ser presos “a libertação de Wa Lone e Kyaw Soe Oo é uma vitória fundamental para a liberdade de imprensa e para a RSF que se mobilizou sem descanso desde a detenção”.

Entre as ações para lutar pela libertação da dupla de repórteres, a RSF organizou um abaixo assinado mundial e juntou-se a dezenas de entidades internacionais e de Mianmar em mobilizações. “O caso deles é emblemático da importância do jornalismo investigativo para o exercício da democracia. Saudamos a participação de todos os atores da sociedade civil que, tanto dentro do país como em nível internacional, jamais esqueceram o destino dos dois jornalistas e mantiveram o combate até atingir essa feliz conclusão”, completou Bastard.

Apesar da satisfação pela libertação, a entidade ressaltou que o fato de isso ter sido fruto de perdão presidencial a condenação em si criou uma jurisprudência perigosa no país.

A reportagem de Lone e Oo recebeu diversos prêmios internacionais, entre eles o Pulitzer. A dupla também foi agraciada com o prêmio Liberdade de Imprensa concedido pela Unesco.

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book