Jornalistas lamentam morte de Gianni Carta

Redação Portal IMPRENSA*

O jornalista Gianni Carta morreu ontem (5), em Paris, aos 55 anos, vítima de câncer nas vias biliares. Gianni foi correspondente internacional na Europa e nos Estados Unidos para publicações brasileiras, além de colaborar para importantes publicações internacionais como The Guardian, BBC, CBS, Deutsche Welle e outras.

Crédito: Divulgação

Formado em ciências políticas pela Universidade da Califórnia em Los Angeles, fez pós-graduação em relações internacionais pela Universidade de Boston e pela École des Hautes Études Internationales de Paris. Gianni era filho do jornalista Mino Carta e irmão da jornalista Manuela Carta. 

“Ele combateu bravamente esse câncer nas vias biliares, nunca reclamou e olha que foi duro, cheio de complicações. Mas o Gianni era um guerreiro inveterado”, escreveu Manuela em texto publicado no site Diário do Centro do Mundo.

Fernando Mitre, diretor de jornalismo da Rede Bandeirantes, fez postagem no Twitter. “Perdemos um grande jornalista. Profissional completo, culto, correspondente em vários países e autor de livros importantes. Gianni Carta, da estirpe dos Carta (só isso já diz tudo…), morreu cedo, no auge da carreira. Não imagino o sofrimento do pai, Mino, e de toda a família”, escreveu.

Gabriel Priolli, jornalista, colunista, professor e apresentador, usou o Facebook para lamentar o falecimento. “Perda imensa para o jornalismo, a de Gianni Carta. Minha solidariedade total aos colegas e muito em particular, à família. Quando os Carta sofrem, todos que têm afeto por eles, e/ou são gratos ao espírito público dessa gente singular, também sofrem”. 

O jornalista Matheus Pichonelli escreveu uma coluna na revista Carta Capital falando sobre a convivência com Gianni durante o período em que esse foi editor do site da publicação. “Ele se tornou, para todos os que trabalharam com ele, uma referência, um amigo”, ressaltou.

O economista Luiz Gonzaga Belluzzo também lamentou a morte em texto na revista. “Perdemos Gianni. Perdemos um jornalista da estirpe dos Carta e um intelectual de grande erudição, sensibilidade e percepção histórica. Tive a ventura de escrever o prefácio de seu livro sobre Garibaldi, o gaúcho-italiano que venceu a batalha da unificação da Itália na segunda metade do século XIX”, escreveu. 

O Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou nota de pesar. “Neste momento de dor, o PT se solidariza com amigos, familiares e colegas e lamenta a passagem de Gianni Carta”, diz o texto. 

Tenista na juventude, Gianni também foi escritor e é o autor de Garibaldi na América do Sul (Boitempo), Velho novo jornalismo (Conex), O tênis no Brasil: de Maria Esther Bueno a Gustavo Kuerten (com Roberto Marcher, pela Conex) e Às Margens do Sena: depoimento de Reali Jr. a Gianni Carta (Ediouro).  

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book