Clube de Imprensa

Jovem que descobriu asteroide na NASA conclui estudo sobre galáxias

Lembra da Maria Larissa Pereira Paiva, de 16 anos, a estudante cearense que descobriu um asteroide em programa da Nasa? Ela mais uma vez foi destaque na mídia, dessa vez por um novo estudo, agora envolvendo a classificação de 1.450 galáxias.

Após a descoberta do asteroide, lançamos uma vaquinha para a Larissa no Só Vaquinha Boa. A finalidade era apoiá-la a seguir com os estudos, já que ela é de família bastante humilde e chegou a estudar com o computador emprestado de um amigo.

E deu tudo certo! Hoje a Larissa está equipada com o próprio notebook, que ganhou da nossa parceira Multilaser e está inspirado outras pessoas.. Ela sempre publica no perfil pessoal do Instagram que quer incentivar outros jovens a nunca desistirem dos sonhos, por mais distantes que eles estejam.

Cruzeiro das Galáxias

A jovem hoje integra o projeto “Galaxy Cruise”, ou Cruzeiro das Galáxias, do Observatório Astronômico Nacional do Japão (NAOJ na sigla em inglês).

A partir do projeto, ela recebe imagens feitas por uma câmera de alta tecnologia (Hyper Suprime-Cam) com apoio do Telescópio Subaru.

Com isso, a Larissa consegue analisar diversas características das galáxias, como tamanho, luminosidade, formato e comprimento de ondas.

Após a análise, ela registra as informações em um software do projeto. Com os dados, é possível até prever alguns fenômenos como a colisão de galáxias.

“Eu fiz um curso e só depois comecei a usar o programa, que vem do observatório nacional do Japão, para pesquisar. Eu recebi o certificado para começar e aprendi a deduzir as informações”, explica a futura astrônoma.

Entre os melhores

E os esforços de Larissa têm dado muito certo. Lá em Pires Ferreira, no interior do Ceará, a jovem recebe as imagens de galáxias reais em diversos ângulos e preenche dados sobre as particularidades vistas. “É um formulário bem dinâmico, o mais complicado é analisar”, observa.

Ela conta que o processo não é tão divertido, mas que vale a pena pela experiência e conhecimento que ela ganha, já que não é remunerada pela pesquisa.

“Não é só colorido e divertido, porque temos que colocar os filtros. Realmente é uma análise de dados astronômicos que está vindo de um telescópio no Japão”, explica.

E foi graças a esperteza da Larissa que o nome dela apareceu no topo da lista do projeto. “No ranking, eu não vi nenhum outro nome brasileiro, estive no topo por muito tempo. Eram só nomes japoneses, alguns ingleses, e o meu estava ali com o clássico Maria”, comemora.

Parceria com Só Notícia Boa rendeu notebook para estudante

Durante a campanha da Larissa no Só Vaquinha Boa, a Multilaser viu a importância de um notebook novo para os estudos e pesquisas dela.

Em uma parceria bem legal, a empresa enviou um computador novinho para a jovem e comemoramos muito esse desfecho!

Hoje Larissa estuda com o notebook que ganhou e que ir longe! “Eu quero abrir inscrições para liderar algumas equipes de crianças e adolescentes para dar oportunidade de elas pesquisarem também. Não é tão difícil para uma criança saber dos conceitos”, compartilha sobre a ideia que pretende aplicar nos próximos meses.

Ela já compartilhar o alcance dos estudos com a família, dando aulas para o irmão menor. E também sonha em homenagear a avó Raimunda Alcidia de Paiva, conhecida como Mundinha, na possibilidade de dar nome ao asteroide que descobriu. O processo ainda está em análise.

Ajude outras histórias

Assim como a Larissa, outras histórias são contadas no Só Vaquinha Boa e precisam muito da sua ajuda! São sonhos, necessidades e muito desejo de pessoas que precisam ter uma condição melhor de vida!

A proposta do Só Vaquinha Boa é contar história inspiradoras, de pessoas incríveis! E poder levar mais felicidade para todas elas é nossa maior meta!

Então acesse o nosso site de arrecadação online e doe em alguma campanha. A partir de R$ 1 você consegue ajudar!

Conheça aqui mais histórias do Só Vaquinha Boa

Por Monique de Carvalho SNB com informações de Diário do Nordeste