Manaus recebe 1º Seminário de Jornalismo Investigativo da Amazônia

62697BA2-CAFC-4919-938C-F192EB4D48F2
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Manaus recebe 1º Seminário de Jornalismo Investigativo da Amazônia

manaus - 1º Seminário de Jornalismo Investigativo da Amazônia

(Imagem: reprodução/internet)

Iniciativa tem coordenação de Angelina Nunes e Clayton Pascarelli, apresentador da Record TV. Com inscrições abertas, evento será realizado no sábado, 30

1º Seminário de Jornalismo Investigativo da Amazônia levará profissionais de nível nacional a Manaus. Emanuel Alencar, Vera Araújo, Marcelo Soares e Sérgio Ramalho estarão presentes

Levar para a cidade de Manaus discussões sobre investigações no âmbito ambiental, coberturas densas, apurações sobre crime organizado e “tradução” de dados. Esse é o objetivo central da primeira edição do Seminário de Jornalismo Investigativo da Amazônia. Com organização de Angelina Nunes e Clayton Pascarelli, comunicador local e apresentador da Record TV, o evento será realizado no sábado, 30 de novembro, no Tropical Executive Hotel, a partir das 8h. Tendo limitação de vagas, as inscrições ainda estão abertas.

O 1º Seminário de Jornalismo Investigativo da Amazônia é, conforme o nome indica, direcionado a profissionais da imprensa na região de Manaus. Pesquisadores e professores de comunicação social também serão bem-vindos, ressalta a organização do encontro. O mesmo vale para quem estiver se graduando na área. Aliás, esse público tem condições especiais. Assim como ocorre em teatro e cinema, por exemplo, estudantes pagam meia. Enquanto profissionais têm de investir R$ 300,00, eles podem acompanhar todo o evento desembolsando R$ 150,00.

Além da presença de Angelina Nunes, responsável pela coordenação do evento em parceria com Clayton Pascarelli, o 1º Seminário de Jornalismo Investigativo da Amazônia tem a sua programação estruturada em comunicadores de nível — e reconhecimento — nacional e até internacional. Marcelo Soares, do qual este editor teve honra de ser aluno na especialização de jornalismo digital pela ESPM de São Paulo, conduzirá a palestra “Conversando com Dados, como conseguir informações pela internet”. Em pauta, como trabalhar com planilhas e como construir pautas com base na Lei de Acesso à Informação.

Investigações em debate

Vera Araújo, Emanuel Alencar e Sérgio Ramalho também estarão em Manaus no fim de semana. Ela abordará um caso emblemático e de um tipo de trabalho de forma geral. “Caso Marielle e outras coberturas de grande repercussão, como a descoberta das milícias do Rio de Janeiro” é o tema da palestra a ser comandada pela jornalista no 1º Seminário de Jornalismo Investigativo da Amazônia. Emanuel Alencar, por sua vez, falará de “Investigação no Meio Ambiente”. Enquanto isso, caberá a Sérgio Ramalho expor sobre outro ponto delicado: “Investigação de Crime Organizado”.

Idealizador e coordenador do 1º Seminário de Jornalismo Investigativo da Amazônia, Clayton Pascarelli destaca o valor educativo do evento. O jornalista, que integra o time de apresentadores da Record TV em Manaus, sinaliza, ainda, que é preciso veículos e colegas se atualizarem. “Hoje, raramente um veículo de comunicação investe em formação de seus colaboradores. A gente vê congressos de médicos, administradores, contadores, advogados, mas pouco se vê sobre a comunicação no geral, mesmo sendo uma área superimportante para o desenvolvimento de todas. Com uma comunicação bem feita e direcionada a sociedade sai beneficiada num todo”.

clayton pascarelli - record tv - manaus - 1º seminário de jornalismo investigativo da amazônia
Clayton Pascarelli: coordenador do seminário sobre jornalismo investigativo e apresentador da Record TV. (Imagem: divulgação/Record TV)

Confira, abaixo, a apresentação dos palestrantes — conforme divulgado pela organização do evento:

Angelina Nunes

Jornalista, mestra em Comunicação Social pela UERJ, MBA em Formação de Executivos Infoglobo pelo Ibmec, graduada em Comunicação Social pela UFRJ (ECO) e professora universitária. Orientou TCCs em Jornalismo Investigativo em parceria com a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), da qual foi presidente no biênio 2008-2009. Atualmente, ela integra o conselho da entidade e coordena o Programa Tim Lopes, que trata da investigação e acompanhamento dos casos de agressões graves e assassinatos de jornalistas no Brasil. Tem mais de 30 anos de experiência em redações. Recebeu os prêmios de jornalismo Rey de España, IPYS, SIP, Prémio Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano e Esso com a série de reportagens “Os Homens de Bens da Alerj”; Vladimir Herzog, Every Human Has Rights Media Awards, Embratel e CNH com a série “Favelas S.A”; Embratel com a série “Propinoduto”; Esso com a série “As Quentinhas”; Esso com “Tribunal do Tráfico”.

Marcelo Soares

Jornalista, fundador da empresa de análise de dados e desenvolvimento de audiência Lagom Data. É membro do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) e foi membro fundador e o primeiro gerente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).  Primeiro editor de audiência e dados da Folha de São Paulo, lecionou jornalismo de dados nas pós-graduações em jornalismo digital da ESPM e da PUCRS. Colaborou com o Los Angeles Times, Wired News e MTV Brasil. Trabalhos seus com análise de dados para reportagem ganharam prêmios Esso (2006), Petrobras (2017) e INEP (2018). Desde 2016 se dedica a consultorias e oficinas de audiência e análise de dados em diversas empresas de comunicação.

Emanuel Alencar

Carioca, formou-se em jornalismo pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Tem pós-graduação em Gestão Ambiental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e mestrado em Engenharia Ambiental pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Atualmente, ele é editor de Conteúdo e Sustentabilidade do Museu do Amanhã, onde atua na elaboração de exposições, atualização da exposição principal e organização de palestras e eventos. Com experiência de 14 anos em jornais impressos – como O Fluminense e O Globo – atua como freelancer no projeto #Colabora e no portal ((o))eco.

Vera Araújo

Jornalista há 30 anos e advogada. Trabalhou no Jornal do Brasil e está no Globo há 19 anos, atuando como repórter na área de jornalismo investigativo. Em 2005, Vera revelou em O Globo a existência das milícias, grupo formado por policiais, bombeiros e ex-policiais que extorquem dinheiro dos moradores de comunidades a pretexto de lhes “oferecer” segurança privada ao expulsar traficantes. Em troca, eles cobram ainda pela venda de gás e serviços de TV à cabo, transporte alternativo, internet e outros. A reportagem sobre as milícias, nome criado por ela, lhe rendeu o Prêmio Tim Lopes de Jornalismo Investigativo, em 2008, além de outra premiação, em 2010, com a matéria “Exército de Laranjas”, na qual revelou as fraudes nas licitações de compras do Instituto Militar de Engenharia do Exército (IME).

Em 2009, foi vencedora do Prêmio Esso Sudeste, com o trabalho em equipe na série “Democracia nas Favelas”, pelo Globo. Foi agraciada ainda com o Prêmio Mulher Imprensa, na categoria repórter de jornal, em 2012. Venceu dois prêmios Embratel, em 2008 e 2003, com as séries “Dimenor: Os Adultos de Hoje”, sobre o destino de uma geração de adolescentes infratores após terem completado 18 anos; e “No Rastro das Propinas (O Caso do Propinoduto), ambos em equipe, publicadas no jornal O Globo.

Sérgio Ramalho

Jornalista investigativo independente. Bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo, pela antiga Universidade Gama Filho. Foi repórter especial no Jornal O DIA e no GLOBO. Em 25 anos de jornalismo publicou reportagens nas revistas Status, Veja e nos jornais Washington Post, USA Today e Folha de São Paulo. É colaborador dos sites UOL e The Intercept Brasil. Recebeu vinte prêmios internacionais e nacionais nas categorias jornalismo investigativo, direitos humanos e responsabilidade social, com destaque para: Interamericano de Imprensa (SIP), Instituto Prensa y Sociedade (IPYS), Vladimir Herzog, Esso de Reportagem Nacional, Barbosa Lima Sobrinho (Embratel) e Tim Lopes de Jornalismo Investigativo.

Serviço

O quê?
1º Seminário de Jornalismo Investigativo da Amazônia

Quando?
30 de novembro (sábado), das 8h às 18h

Como participar?
Inscrições disponíveis no site Mundo Amazônia

Valores?
Profissionais: R$ 300,00. Estudantes: R$ 150,00

Onde?
Tropical Executive Hotel
(Av. Coronel Teixeira, 1.320 A – Ponta Negra – Manaus/AM)