México registra mais uma morte de jornalista

O jornalista mexicano Carlos Domínguez
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

México registra mais uma morte de jornalista

O jornalista mexicano Carlos Domínguez foi morto a tiro neste último dia (14) na cidade de Nuevo Laredo, norte, quando viajava de automóvel, informou o governo do estado de Tamaulipas.

Domínguez poderá ser o primeiro jornalista assassinado este ano no México, considerado um dos países mais perigosos do mundo para exercer a profissão.

No comunicado o governo de Tamaulipas lamentou e condenou energicamente o homicídio, que terá acontecido na tarde de sábado.

O Ministério Público “iniciou de imediato as investigações para dar seguimento ao caso e estabelecer as circunstâncias que envolvem o homicídio”, diz o comunicado.

Segundo a imprensa local, quando foi atacado Domínguez conduzia, na companhia da filha, pelo centro de Nuevo Laredo, cidade fronteiriça com os Estados Unidos.

O jornalista trabalhava como frelancer e escrevia sobre temas políticos.

No último dia 6, o jornalista José Gerardo Martínez, editor do diário El Universal, morreu depois de ter sido atingido por um tiro num assalto.

A Procuradoria considerou que as primeiras investigações indicavam que a causa do tiro fora o assalto.

O México é o país mais perigoso do mundo para o jornalista ou profissional de comunicação trabalhar. Em 2017, o país da América do Norte registrou o assassinato de 13 profissionais de comunicação, o que o colocou no topo do ranking mundial, de acordo com a Federação Internacional de Jornalistas (FIP na sigla em espanhol).

Da redação Matheus Corrêa com informações da ABI