Morre em Bela Vista, aos 72 anos, jornalista e escritor Ivaldo Pereira

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Fundador do “Tribuna da Fronteira” está entre comunicadores que fizeram história em MS

Por Rádio Jota FM/Edson Moraes

Morreu nesta terça-feira, 27, em Bela Vista, o jornalista e escritor Ivaldo Pereira. Um dos nomes mais respeitados na história do jornalismo impresso de Mato Grosso do Sul, ele tinha 72 anos e há alguns anos vinha sofrendo com problemas de saúde, causados por terríveis dores de ocorrência reumática.

Casado com Estela Velásquez, três filhos, Ivaldo Pereira.tinha imaginação fértil, impressionante faro jornalístico, visão aguçada e surpreendente vitalidade para o trabalho, além de ser um grande colecionador de “causos” e episódios sociais e políticos. Natural de Bauru (SP), desembarcou em Mato Grosso, ainda uno, em meados dos anos 1970.

O jornalista tinha também vocação e paixão pela literatura. Não escreveu e nem publicou todos os livros que desejava, porém os que nasceram de sua lavra são peças fundamentais no acervo histórico do Estado. Amava profundamente Bela Vista e a região na divisa Brasil Paraguai. Era tanto amor que fundou e comandou, desde 1972, o semanário impresso “Tribuna da Fronteira”, verdadeiro retrato da rotina e das aspirações regionais.

PRESENÇA – Ivaldo testemunhou e participou de diversos acontecimentos que marcaram época na política e no jornalismo do Estado. Um dos fatos que marcou sua trajetória foi a cobertura da primeira eleição direta para escolha do prefeito bela-vistense ainda em dias recém-saídos da ditadura militar. O vencedor daquela disputa foi Abrão Zacarias.

A velha máquina de escrever manual, o hábito de anotar informações em qualquer superfície rasurável e o interesse por reportagens densas e narrativas minuciosas revelavam a combinação romântica e intimista de um jornalista e escritor das antigas, alguém que vivia o futuro sem descolar da pureza provinciana reveladora de sua alma grandiosa e inquieta.

Mato Grosso do Sul e a fronteira, especialmente, choram a partida de um homem que soube viver e construir amizades e admirações, incluídos aqueles que por vezes se incomodavam com sua caneta certeira.

Ivaldo Pereira acumulou sólidas relações afetivas com vários protagonistas de suas escritas, entre os quais os ex-prefeitos Abrão Zacarias (Bela Vista), Heitor Miranda (Porto Murtinho) e Joelson Peixoto (Jardim), além dos ex-governadores Wilson Barbosa Martins, Pedro Pedrossian e Ramez Tebet (já falecidos), Zeca do PT e  André Puccinelli. Uma relação com várias cores partidárias e ideológicas, cenário que atesta a consciência e a universalidade de um ser pluralista e democrático que honrou as responsabilidades lançadas em sua existência.

Homenagem

Em Ponta Porã, durante o Jornal da Líder FM 104,9 o jornalista Lile Corrêa, prestou homenagem a família do “professor, jornalista e escritor Ivaldo Pereira, que me recebeu em sua redação no dia 17 de maio de 1987, na Rede Belavistense de Jornais, e por mais de 40 anos escreveu a história da fronteira e região sudoeste do Mato Grosso do Sul”. Ivaldo era casado com Maria Estela Velasquez e tinha três filhos Junior, Vitor Hugo e Gabriela.

Legenda: Heitor Miranda e Ivaldo Pereira em junho de 2012 – Foto: Hildebrando Procopio