Clube de Imprensa

Na feira Ponta Agrotec, grupo de entidades assina Pacto pela Inovação de Ponta Porã

Iniciativa do 1º Ecossistema de Inovação fronteiriço do país visa estimular o empreendedorismo inovador na cidade e região

Para disseminar a cultura do empreendedorismo e da inovação, favorecendo a criação de negócios de base inovadora, representantes das entidades que integram o Ecossistema Local de Inovação de Ponta Porã assinaram na manhã desta quarta-feira (12) o “Pacto pela Inovação” do município. A solenidade foi realizada durante a abertura da Ponta Agrotec, uma das principais feiras de tecnologia e inovação do agronegócio no país, que em 2024, possui como tema central “Eco Revolution: Desencadeando Um Futuro Mais Sustentável”.

O Pacto pela Inovação é um compromisso feito pelas entidades que compõem o Ecossistema Local de Inovação de Ponta Porã, o primeiro fronteiriço do país. Este movimento foi lançado em 2023, com o diferencial de fortalecer, disseminar a cultura empreendedora no território e se destacar como uma referência de Ecossistema de Fronteira. A governança é formada por instituições como Sebrae, Senac, Sesi, UFMS, UEMS, IFMS, Semadesc, Fundect, Prefeitura Municipal e Ciarama Máquinas, que agora, assinaram o pacto para construir ações conjuntas.

Segundo o conselheiro do Sebrae/MS e secretário executivo de Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), Ricardo Senna, o pacto visa unir todos os atores em um movimento para alavancar e fortalecer o Ecossistema Local de Inovação, atuando em políticas e ações estratégicas voltadas para o empreendedorismo e a visão de transformar o perfil da economia pontaporanense. Alguns exemplos são a melhoria do ambiente de legislação local voltado para inovação e o fortalecimento de espaços de inovação que já existem na cidade, como incubadoras e ambientes makers.

“É importante destacar que Mato Grosso do Sul vive um momento ímpar na sua história econômica. De 2015 para cá atraímos mais de R$ 109 bilhões de investimentos, e para dar suporte a esse desenvolvimento de forma que seja perene, é fundamental que ancorar esse desenvolvimento no tripé da ciência, da tecnologia e da inovação. Temos na região de Ponta Porã um ecossistema inédito, o primeiro de fronteira do Brasil, então é a oportunidade de alavancar o desenvolvimento, agregar mais valor e principalmente impulsionar o surgimento de empresas de base tecnológica”, pontuou Senna.

Natural de Ponta Porã, o diretor-presidente da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), Marcio de Araújo Pereira, que também é conselheiro do Sebrae/MS, reforça o papel estratégico da cidade ao unir diferentes setores devido à localização geográfica. “De todos os ecossistemas do estado que a gente vem trabalhando, esse é muito especial porque é um hub internacional. De todos os olhares que têm, Ponta Porã é muito promissora em fazer esse intercâmbio internacional, esse avanço que o estado tem colocado na inovação para acelerar ainda mais”, completou.

A gerente da Unidade de Competitividade e Inovação do Sebrae/MS, Isabella Fernandes Montello, reforça que a assinatura do Pacto pela Inovação durante a Ponta Agrotec mostra o comprometimento com a promoção de setores como o agronegócio. “Quando promovemos um Pacto pela Inovação, a gente lança um olhar inovador sobre a vocação econômica do território. É isso que acontece em uma feira como essa, onde o agronegócio se destaca. Temos a possibilidade de olhar por meio da inovação como desenvolver soluções para os problemas, para as dores desse setor econômico. O pacto é a junção das instituições em busca da melhoria do ambiente e do setor econômico aqui do território”, disse a gerente.

Do ponto de vista das lideranças que integram o Ecossistema Local de Inovação de Ponta Porã, a expectativa é de produzir novos conhecimentos e soluções para a sociedade. “A assinatura do pacto é a concretização desse movimento que a gente vem realizando há algum tempo. O ambiente de inovação tem esse propósito de juntar pessoas, cada uma com pensamentos diferentes que convergem para novas ideias e soluções, com isso gerando desenvolvimento para as empresas e para a região”, pontua o representante da UEMS no Ecossistema, Fábio Miguel Gonçalves da Costa.

Inovação e desenvolvimento local

O Ecossistema Local de Inovação de Ponta Porã foi consolidado por meio do programa Cidade Empreendedora, uma iniciativa do Sebrae/MS executada em parceria com a Prefeitura Municipal para a transformação da economia local. Ele é executado no município desde 2022 e se encerra neste ano, com uma atuação que fomentou o empreendedorismo no município, com a abertura de 2.854 novas empresas, por exemplo.

De acordo com o prefeito de Ponta Porã, Eduardo Campos, com a assinatura do Pacto pela Inovação e a potencialização do programa Cidade Empreendedora, o município apoia o empreendedorismo. “Nossa expectativa é a melhor possível, de que a gente possa, a partir desse Pacto, empreender novas políticas, sobretudo visando a facilitação da vida do empreendedor. O que a gente quer é que o empreendedor veja aqui no nosso município um ambiente favorável, tanto do ponto de vista do empreendimento quanto da facilidade para que as coisas sejam alcançadas”, afirma.

Junto com Ponta Porã, o Sebrae acompanha outros ecossistemas de inovação em Mato Grosso do Sul, em diferentes graus de maturidade, com o objetivo de consolidá-los: Campo Grande, Chapadão do Sul, Corumbá/Ladário, Dourados, Maracaju, Naviraí, Nova Andradina, Três Lagoas, além de Aquidauana e Jardim, que estão em fase de lançamento.

Mais informações aos empreendedores por meio da Central de Relacionamento do Sebrae, no número 0800 570 0800.

* Sebrae/Diretoria de Comunicação