Novo curso do Knight Center ensina jornalistas a fiscalizar gastos públicos

novo-curso-do-knight-center-ensina-jornalistas-a-fiscalizar-gastos-pblicos
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Novo curso do Knight Center ensina jornalistas a fiscalizar gastos públicos

Knight Center para o Jornalismo nas Américas, com apoio do Google News Lab, acaba de abrir as inscrições para um novo curso gratuito e virtual. O economista Gil Castello Branco, fundador da ONG Contas Abertas, coordena o curso massivo aberto on-line (MOOC, na sigla em inglês): “No rastro do dinheiro público: Como fiscalizar gastos da União, estados e Municípios”. As aulas duram quatro semanas e começam no dia 07.set.2020.

Além do próprio Castello Branco, Natália Mazotte, diretora da Abraji, e Carlos Brenner, vice-secretário-geral da Associação Contas Abertas, também são instrutores do curso. Eles vão treinar jornalistas para acompanhar o fluxo do dinheiro público. Além de videoaulas, leituras, fóruns de discussão e questionários, o MOOC propõe encontros virtuais semanalmente por meio do Google Meet.

Na primeira semana, Castello Branco apresenta alguns conceitos essenciais para que jornalistas possam construir sua própria consulta sobre o orçamento e a situação fiscal do seu município, estado ou União. “A linguagem orçamentária é seca e algumas palavras e expressões podem assustar no início para quem não está acostumado a lidar com gastos públicos”, opina o fundador da Contas Abertas. “Por isso, um dos objetivos do curso é traduzir o jargão econômico para uma linguagem simples”, complementa.

O economista lembra das várias irregularidades no financiamento do Copa do Mundo e acrescenta: “Os gastos com a pandemia equivalem a mais de 20 Copas do Mundo. Precisamos fazer alguma coisa para ampliar a capacidade da imprensa e da cidadania em geral de fiscalizar esses gastos.”

Para o brasileiro Rosental Calmon Alves, fundador e diretor do Knight Center para o Jornalismo nas Américas, fiscalizar os gastos públicos não só é importante para os jornalistas, como está na essência do papel que uma imprensa livre exerce numa sociedade democrática. “Nas democracias, como a brasileira, foram criadas nas últimas décadas mecanismos de transparência que facilitam a fiscalização cidadã. Mas é preciso que os jornalistas aprendam como acessar as contas públicas que muitas vezes são publicadas na internet, só que de forma complicada e de difícil acesso. O treinamento é essencial para jornalistas e quaisquer pessoas que queiram checar a honestidade das contas públicas.”

::Inscreva-se agora::