Novo relatório revela “desertos de notícias” no Brasil

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Mais da metade dos municípios brasileiros são desertos de notícias. Ou seja, não contam com meios jornalísticos locais. A conclusão é da segunda etapa do Atlas da Notícia. O projeto, que contou com uma campanha de crowdsourcing (levantamento de dados colaborativo), foi divulgado na última semana.

O estudo concluiu que não há veículos de comunicação em 51% dos 5570 municípios brasileiros, onde vivem 30 milhões de pessoas. Em 30% das cidades, onde habitam 34 milhões de pessoas, há só um ou dois veículos de comunicação. São considerados “quase desertos” e correm o risco de se tornarem “desertos de notícias”.

Projeto inédito de mapeamento de veículos de jornalismo — especialmente local — no Brasil, o Atlas da Notícia é uma realização do Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (Projor) e tem a pesquisa, análise e publicação dos dados desenvolvida pela agência Volt Data Lab.

Para a presidente do Projor, Angela Pimenta, o “direito humano universal de receber informações de interesse público sobre o poder local fica comprometido com a ausência de jornalismo local”, conforme declarou em entrevista recente.

Segundo o Atlas da Notícia, quase 60% dos veículos de comunicação brasileiros são de rádio ou impresso. Foram catalogadas 4007 iniciativas de rádio, 3368 jornais impressos, 2773 veículos de televisão, 2263 iniciativas online e 56 revistas. Os desertos de notícia são mais presentes nas regiões Norte (70% dos municípios) e Nordeste (64%). A região Sudeste (38%) é a que menos tem vazios de iniciativas jornalísticas.

Notícia X IDHM

Sergio Spagnuolo, editor do Volt Data Lab, considera que ao “se obter conhecimento sobre vazios de notícia e sobre a característica de veículos no interior do Brasil, fora dos grandes centros de mídia, será possível orientar iniciativas, programas e políticas que possam fortalecer o jornalismo local”.

O levantamento também constatou uma correlação entre a presença de veículos jornalísticos e um maior índice de desenvolvimento humano municipal (IDHM). O estudo completo está disponível no site do Atlas da Notícia.

O estudo recém-divulgado não é comparável com os divulgados anteriormente, já que leva em consideração informações pesquisadas em 2017, enquanto os demais utilizam-se do Censo 2010. Além disso, é a primeira vez que o Atlas da Notícia considera veículos de TV, rádio, impresso e online conjuntamente.

O Atlas da Notícia se inspira no projeto America’s Growing News Deserts, da Columbia Journalism Review. Com apoio do Facebook Brasil, ele conta também com a parceria institucional da Abraji.

         Fonte: Portal Comunique-se