Organizações jornalísticas de sete países se unem para monitorar liberdade de expressão

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Redação Portal IMPRENSA

Organizações jornalísticas de sete países da América Latina formaram uma aliança para monitorar a liberdade de expressão em suas regiões. Batizada de Vozes do Sul, a iniciativa reúne a Fundamedios (Equador), o Centro de Arquivos e Acesso à Informação Pública (Uruguai), o Fórum de Jornalismo Argentino, o Instituto de Imprensa e Sociedade (do Peru e da Venezuela), o Comitê para a Liberdade de Expressão (Honduras) e a Associação Nacional de Imprensa (Bolívia).

Crédito:Pixabay

Em entrevista ao Centro Knight para Jornalismo na América Latina, o jornalista uruguaio Fabián Werner, do Centro de Arquivos e Acesso à Informação Pública, explicou que o monitoramento terá como base 12 indicadores. Entre os mais relevantes estão: assassinato, sequestro, desaparecimento forçado, detenção arbitrária, tortura, processos judiciais e uso abusivo do poder do Estado.

A jornalista Adriana León falou pelo Instituto de Imprensa e Sociedade do Peru e destacou que um dos objetivos é iniciar um debate sobre o estado atual da mídia nesses países e saber o motivo que tem levado ao aumento da rejeição à imprensa entre os indivíduos. O projeto também pretende apoiar os sistemas de monitoramento de cada participante dentro do seu país e formar uma plataforma regional na internet reunindo os alertas emitidos pelas organizações. A Fundamedios ficará encarregada da administração da plataforma.

As entidades participantes se aproximaram devido à semelhança de problemas enfrentados pela mídia nos respectivos países envolvidos. “Estes têm a ver com a dificuldade que existe para obter uma resposta rápida dos Estados na investigação de crimes contra jornalistas“, ressaltou Werner ao Centro Knight.