País é o 1º a testar remédio de anticorpos da Covid-19

anticorpo_covid
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

País é o 1º a testar remédio de anticorpos da Covid-19

Tratamento com anticorpo antiviral COVID- 19 Foto: Celltrion Group
Tratamento com anticorpo antiviral COVID- 19 Foto: Celltrion Group

A Coreia do Sul desenvolveu um medicamento contra Covid-19 que tem potencial para reduzir a carga viral do novo coronavírus e se tornou nesta sexta,17, o primeiro país do mundo a aprovar testes em humanos de um remédio com base em anticorpos contra a doença.

Após testes promissores feitos em animais, que demonstraram melhor tempo de recuperação em estudos pré-clinicos, a medicação vai entrar na fase 1 de testes em humanos.

O remédio feito pela biofarmacêutica sul-coreana Celltrion Healthcare, será aplicado incialmente em testes em 32 voluntários saudáveis.

A empresa afirmou que em seguida, os testes começarão em países da Europa, como o Reino Unido, enquanto os testes de fase 2 e 3 acontecerão de forma global em pacientes com sintomas leves e moderados da doença.

Anticorpos de recuperados

O tratamento foi desenvolvido com base nos anticorpos encontrados nos primeiros pacientes que se recuperaram da covid-19 no país em fevereiro.

A estimativa da Celltrion é que os testes estarão concluídos até o final deste ano e que a droga ficará pronta para a comercialização no começo de 2021.

“Os testes humanos serão conduzidos globalmente, então vamos exportar a medicação, com certeza, mas só daremos para pacientes no exterior depois de assegurar um estoque para a Coreia do Sul”, disse em entrevista à agência de notícias Reuters, o CEO da empresa, Kee Woo-sung.

As fases

Para uma vacina ou medicação ser aprovada e distribuída, ela precisa passar por três fases de testes.

A fase 1 é a inicial, quando as empresas tentam comprovar a segurança de seus medicamentos em seres humanos; a segunda é a fase que tenta estabelecer que a vacina ou o remédio produz, sim, imunidade contra um vírus; já a fase 3 é a última fase do estudo e tenta demonstrar a eficácia da droga.

Para que uma medicação seja finalmente disponibilizada à população, é necessário que essa fase seja finalizada e que a proteção receba um registro sanitário.

Por fim, na fase 4, a vacina ou o remédio é disponibilizado para a população.

Rinaldo Oliveira do Só Noticia Boa com informações da Exame