Clube de Imprensa

Pesquisa revela que 48% dos jornalistas não usam a LAI para obter informações

Redação Portal IMPRENSA
Os resultados da pesquisa “Uso da Lei de Acesso a Informações por Jornalistas: 4º Relatório de Desempenho” foram divulgados nesta segunda (17) pela Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) e revelam que mais de 48% dos 384 jornalistas ouvidos nunca fizeram uso da LAI (Lei de Acesso à Informação) para apurar reportagens.
Bianual e publicado desde 2013, o levantamento chegou à quarta edição visando marcar os 9 anos de implementação da LAI, que foi sancionada em 2011 pela então presidente Dilma Rousseff (PT). O órgão responsável pelo cumprimento da LAI é a Controladoria Geral da União (CGU).
Crédito: Reprodução
Os jornalistas que não usam a LAI alegaram dificuldade para fazê-lo. Profissionais também afirmaram que nunca precisaram dela e também que preferem fazer uso de outras fontes, como assessorias de imprensa.
Pandemia trouxe problemas
Os que utilizam a lei também relataram dificuldades, em especial atrasos em respostas, sigilo indevido e respostas que não condizem com as solicitações. Mais de 50% dos jornalistas que fizeram pedidos via LAI encontraram dificuldades para obter respostas. O problema teria se intensificado com a pandemia da covid-19. O Executivo permanece sendo o poder com mais problemas, em todos os níveis.
A pesquisa revela ainda que quase 70% dos jornalistas que usaram a LAI acionaram o Executivo federal, contra 79% em 2013, 91% em 2015 e 68% em 2019.
No nível estadual, os jornalistas também enfrentaram dificuldades para a obtenção de respostas sobre a pandemia. Muitos pedidos foram negados ou receberam com respostas fora do prazo legal. Em 2021, o número de jornalistas ouvidos na pesquisa aumentou 343,5% em relação à edição de 2019.