Prisão em que Assange está detido é isolada após surto de Covid-19 - CLUBE DE IMPRENSA

Prisão em que Assange está detido é isolada após surto de Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Prisão em que Assange está detido é isolada após surto de Covid-19

Redação Portal IMPRENSA

Localizada no sudeste de Londres, a prisão Belmarsh, onde Julian Assange está detido enquanto aguarda julgamento de sua extradição para os EUA, foi isolada após um surto de Covid-19.
Segundo o The Guardian, o número de casos de coronavírus em prisões da Inglaterra aumentou significativamente em outubro, com 45 unidades reportando casos de contágio.
A relações públicas de Assange informou que, com as medidas de isolamento, os detentos da prisão Belmarsh não estão podendo fazer exercícios, nem tomar banho. E ainda devem se alimentar nas celas.
Julian Assange está aguardando um julgamento de extradição para os Estados Unidos pelos crimes de espionagem e conspiração. Ele é acusado ainda de intromissão informática contra o governo americano. Se extraditado, ele pode ser condenado a 175 anos de prisão.
Crédito: Henry Nicholls/Reuters
Assange, de 49 anos, está preso em Londres
Assange está na prisão Belmarsh desde abril de 2019, quando foi preso pelas forças britânicas na embaixada do Equador.
Jornalista e fundador do Wikileaks, ele é acusado de encorajar uma invasão ao sistema de computador do governo americano para fornecer informações de crimes de guerra cometidos pelos EUA.
Entre os crimes está a execução, por tripulantes de um helicóptero americano, de 18 pessoas em Bagdá em julho de 2007, incluindo dois jornalistas da agência Reuters.
O procurador do caso, Joel Smith, representante da Justiça americana, afirma que o jornalista colaborou com hackers e tentou recrutar pessoas para obter “os vazamentos mais procurados”.
Jornalistas e entidades de defesa da liberdade de imprensa de todo o mundo têm denunciado que as acusações contra Assange têm motivações políticas e que seu trabalho na divulgação de crimes de guerra é protegido pelas cláusulas da Constituição dos EUA.