Projeto leva água potável a regiões vulneráveis do Brasil na pandemia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

O Projeto Água + Acesso já existe desde 2017, mas foi intensificado em 2020, por causa da pandemia. - Foto: divulgação

O Projeto Água + Acesso já existe desde 2017, mas foi intensificado em 2020, por causa da pandemia. – Foto: divulgação

Melhorar o acesso de brasileiros a água potável em tempos de pandemia. É isso que faz o programa Água + Acesso: leva soluções tecnológicas às comunidades rurais do Brasil.

132 mil pessoas já foram beneficiadas em 349 comunidades, distribuídas em 8 estados das regiões Norte, Nordeste e Sudeste do país, que receberam água limpinha e de forma sustentável.

Além da implementação de tecnologia “acessível” e de “baixo custo”, o projeto visa a “autogestão” para criar “independência” e permitir a sua viabilidade no longo prazo, explicou à Agência Efe Daniela Redondo, diretora do Instituto Coca-Cola Brasil, uma das instituições que promovem a iniciativa.

Para a entrega, foi preciso ampliar a infraestrutura do tratamento de água. O resultado é mais qualidade de vida para esses brasileiros.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são 35 milhões de pessoas sem acesso à água tratada no país, sendo que, destas, 20 milhões estão em comunidades e áreas rurais. Além de gerar doenças, mortes, perdas de dias de trabalho e dias escolares, a falta de acesso e tratamento de água gera altos custos para pessoas e governos.

Projeto se intensificou na pandemia

Água + Acesso existe desde 2017, mas o projeto foi intensificado em 2020 justamente por causa da pandemia para incentivar hábitos simples como lavar as mãos.

Com o agravamento da crise sanitária e do cenário econômico, o projeto se estruturou melhor para poder levar mais água a essas comunidades.

“Desde o início do programa, buscamos apoiar e dar visibilidade a modelos autossustentáveis, que são muito mais eficazes e com maior impacto e resultados que outros tipos de investimentos sociais”, disse Rodrigo Brito, um dos responsáveis pelo projeto.

Para ele, “a escolha por este modelo se deu ao ouvir e dialogar com as comunidades e organizações sobre quais eram os maiores desafios e oportunidades”.

Que possamos ver mais histórias assim, de projetos que precisam ser compartilhados! Fazer o bem é algo que não tem preço! Parabéns gente!

Foto: Divulgação | Projeto Água + Acesso
Foto: Divulgação | Projeto Água + Acesso
Foto: Divulgação | Projeto Água + Acesso
Foto: Divulgação | Projeto Água + Acesso

Por Monique de Carvalho, da redação do Só Notícia Boa – com informações de Efe.