Quaraí celebra 141 anos de emancipação no RS

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Quaraí celebra 141 anos de emancipação politica administrativa nesta sexta-feira, dia 8 de abril de 2016.
prefeitura_GR
A palavra Quaraí é uma composição de origem indígena que na linguagem Tupi-guarani significa: “Rio das Garças”, ou ainda “Rio do Sol”. Jarau, “Fogo da noite” na língua chaná identifica nosso município através da lenda “Salamanca do Jarau”. Quaraí, é município da fronteira oeste do Rio Grande do Sul, está localizado a 30 (trinta) graus, 23 (vinte e três) minutos e 17 (dezessete) segundos da latitude e 56 (cinquenta e seis) graus, 29 (vinte e nove) minutos e 56 (cinquenta e seis) segundos de Greenwich. Possui uma área de 3,238 Km² e população estimada em mais de 24.000 habitantes.

A economia continua fortemente baseada na nossa tradição pecuarista. Na agricultura o destaque é para o plantio de arroz, que ocupa uma área superior a 8.500 hectares, mas o comércio e a indústria já são responsáveis por uma grande parcela na arrecadação de impostos, com oscilações resultantes do valor do peso uruguaio. Cinco agências formam a rede bancária na nossa cidade, todas localizadas na Av. Sete de Setembro.

A Ponte Internacional da Concórdia inaugurada em 3 de abril de 1968 e, construída em suave curva numa extensão de 750 metros é o elo de ligação com a cidade de Artigas – ROU.

A BR 293 que é na realidade um prolongamento da Ponte Internacional da Concórdia, foi entregue ao público em 8 de julho de 1981, com seus 129 Km.

Quatro operadoras de celular, a telefonia digital com suporte a ADSL, provedores de acesso a Internet via linha discada e duas estações de rádio, uma AM e outra FM, nos interligam a todo Brasil e ao resto do mundo.

Da estação rodoviária, localizada na rua João Batista de Castilhos, N° 105, imediações da Ponte Internacional, diariamente chegam e partem ônibus para o interior do estado e direto para a capital, Porto Alegre.

A Área de Lazer no conjunto da Ponte Internacional da Concórdia, a Praça General Osório e todo seu complexo, o CTG Sentinela do Jarau e seu Museu Crioulo, balneário e camping nas margens do Rio Quaraí e as Ruínas do Saladeiro são os principais pontos turísticos da nossa cidade.

A 25 Km da estrada que leva à Uruguaiana, fica a Serrania do Jarau, onde a beleza do por do sol é um espetáculo inesquecível. Pela RS 60 em direção ao Passo da Guarda, também a 25 Km, fica o Butiazal, local de lendas e histórias.

Jarau e Butiazal são locais de atração turística e pesquisa que caracterizam o interior do nosso município.

Data Oficial: 8 de abril.

Feriado Religioso: 24 de junho – Dia do Padroeiro São João Batista.
Região: Fronteira Oeste
População: 24987
Altitude (metros acima do nível do mar): 112m
Área do Município em km2: 3.145,50
Clima: subtropical
Distância de Porto Alegre: 590 km
Vias de Acesso: BR/RS 377, BR 290, BR 293, RS 59 e RS 60

História

Em 1814, D. Diogo de Souza, 1° Governador da Capitania Geral do Rio Grande, e Luis Teles da Silva, depois Marquês de Alegrete, iniciaram as doações de sesmarias (é 1 légua de campo de frente por 3 de fundo) no atual município de Quaraí.

É este o tempo das lutas contra José Gervásio Artigas, o idealizador da independência da Banda Oriental, atual República Oriental do Uruguai.

Em nove anos de doações de sesmarias, 42 estancieiros foram os primeiros proprietários dos 3.238 Km², que formam a área do nosso município. Entre estes pioneiros encontrava-se o paulista de Sorocaba, comprador de mulas, João Batista de Castilhos, que além da sesmaria recebida comprou outra, que fora concedida a José Joaquim de Melo, e parte deste campo é hoje a cidade de Quaraí.

A estância de João Batista prosperava, era o tempo das guerras de Independência no Prata, iniciadas em 1810. Quando os “Saladeiros” desta região entram em decadência, sendo o gado contrabandeado para as “charqueadas” riograndenses. Os proprietários de terra formavam a elite política do Rio Grande do Sul e serão os líderes da Revolução Farroupilha. Quaraí é o berço do último combatente farroupilha e aqui iniciou o derradeiro combate, que extendeu-se até o local denominado Quaró no departamento de Artigas, em dezembro de 1844.

Em 1816, o Comandante José de Abreu acampa junto à margem direita do rio Quaraí e com seus 200 homens impede que as tropas do General Artigas aqui se estabeleçam. E assim tem origem o povoamento urbano.

Em 1858 comandava esta Guarnição o Tenente Coronel Simeão Francisco Pereira, quando aqui chegou o engenheiro e matemático, José da Victória Soares Andréa, que integrava a comissão de demarcação dos limites entre Brasil e o Estado Oriental do Uruguai, e traça a planta para a futura freguesia.

FREGUESIA – A lei provincial n° 442 de 15 de dezembro de 1859. Criava no 2° Distrito de Alegrete, a Freguesia de São João Batista de Quaraí.

O 1° Vigário foi o Padre Augusto Martins da Cruz Jobim, apresentando por Carta Imperial, de 17 de janeiro de 1858 e, confirmado canonicamente em 25 de março de 1863.

Na época o Passo do Batista, local conhecido por esta denominação a atual cidade de Quaraí, tinha um oratório com a imagem de São João Batista no local onde hoje é a Igreja Matriz.

A referida imagem veio da Bahia e era pintada a ouro. Foi encomendada por João Batista de Castilhos. Ao lado deste oratório ficava a casa, com teto de capim, que pertencia ao Capitão Bernardo José Maurício de Souza, na qual o Padre de Alegrete celebrava missas e batizados, quando vinha visitar a povoação.

VILA – A freguesia de São João Batista do Quaraí é elevada a condição de vila, por lei n° 972 de 8 de abril de 1875. Esta data assinala a emancipação do 4° Distrito de Alegrete, assim designado desde o ano de 1871.

A instalação do poder legislativo registrada em 16 de outubro de 1875 é que realmente transforma Quaraí em vila.

A lei imperial de 1° de outubro de 1828 estabelecia que as cidades teriam 9 vereadores e as câmaras das vilas seria seria de 7 membros, também atribuia ao mais votado o direito de exercer a função de poder executivo.

A primeira Câmara Municipal de Quaraí assim ficou constituida:
Presidente:
Severino Antônio da Cunha Pacheco;
Florêncio José Carneiro Monteiro;
Domingos Vaz Martins;
Iquibaurgio Rodrigues de Almeida;
Antônio da Costa Siqueira;
José Severo.

CIDADE – O ato n° 150 de 26 de março do ano de 1890, transforma a vila de São João Batista do Quaraí em cidade.

A presença dos poderes executivo e judiciário além do já existente legislativo é que dão condições para a vila elevar-se a categoria de cidade.

O 1° Prefeito de Quaraí foi o Senhor Francisco de Macedo Couto, que renunciou ao mandato de 4 anos, em 1892, por motivos políticos. Era eminente a eclosão do movimento revolucionário, que realmente iniciou em 5 de fevereiro de 1893, após a conclamação de Joca Tavares, em Bagé e que ficou na história com o nome de Revolução Federalista. Como legado desta revolução ficou em Quaraí a figura do maragato, que por um século é o santo popular de Quaraí. Seu heroísmo virou lenda e aumentou a devoção, principalmente dos menos favorecidos socialmente.

DISTRITOS E SUB-DISTRITOS
Para esclarecimento, quanto à divisão territorial do município de Quaraí, faremos as seguintes colocações:

A palavra “termo” tem origem nas ordenações manuelinas do ano de 1514, que estabelecia as normas para criação de vilas. Estas vilas, quando criadas no sertão, deveriam ficar 6 léguas de distância uma da outra, e as sedes distassem 3 léguas de seus respectivos limites, isto é, dispusessem 3 léguas de termo, dentro do qual não se poderia criar nova vila. Portanto , a palavra “termo” equivale a limite.

A palavra “termo” aparece no decreto imperial n.º 8.184 de 9 de julho de 1881, que criava o lugar de Juiz municipal e de órfãos no termo de São João Batista de Quaraí.
Após a subdivisão do município de Quaraí, feita no ano seguinte a emancipação desta área é feita através do ato municipal n.º 18 de 20 de setembro de 1896 que assim determinou os três distritos: Quaraí, Inhanduí e São Rafael.

Em 5 de maio de 1940, o decreto lei municipal n.º 2 estabeleceu os novos limites do município (onde perdemos alguns hectares em favor de Sant´Ana do Livramento) e os das zonas em que se subdivide o município. Estes limites são os mesmos estabelecidos pelo decreto n.º 7.589 de 29 de novembro de 1938 e assim denominados: 1ª zona Quaraí, 2ª zona Minuano (antes denominado de Inhanduí) e 3ª zona de São Rafael.

Em 29 de dezembro de 1944, o decreto lei n.º 720 estabelecia a nova divisão administrativa e judiciária do Estado, pela qual o município contaria com apenas um distrito, passando as zonas a denominarem-se subdistritos.