QUEM É MARCELINO NUNES DE OLIVEIRA

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

marcelino-1QUEM É MARCELINO NUNES DE OLIVEIRA

Há muito para se falar sobre Marcelino Nunes de Oliveira para que se faça um completo retrospecto de sua vida como político, como cidadão fronteiriço, e como pai de família.
Mas, também é possível resumir o caráter e a personalidade desse pontaporanense que, indelével, já deixou seu nome gravado na história da cidade, em apenas três palavras: um homem simples!
Casado, pai de seis filhos, formado e pós-graduado em Direito, aos 46 anos, Marcelino Nunes é pontaporanense da gema, nascido e criado numa das regiões de maior densidade demográfica do município: a Grande Vila Áurea, onde seus familiares e, principalmente sua mãe, a popular “Ña Ramona”, vivem até hoje. Tanto que, por muito tempo, durante os primeiros anos de sua caminhada pela vida pública, era carinhosamente apelidado de “Menino da Vila Áurea”.
Marcelino nunca abandonou suas raízes, seus amigos da infância e da adolescência, bem como seus companheiros de trabalho. Isso faz com que ele alimente ainda mais o respeito e a atenção às famílias menos favorecidas, já que ele traz na bagagem a experiência de já ter enfrentado as restrições que, naturalmente, o “dinheirinho contado” impõe aos que levam uma vida humilde.
Se hoje ele pode se orgulhar de ter conquistado condições para que sua família viva com mais conforto, é porque não desistiu de seus ideais e de seus sonhos fomentados desde a infância. Mas, nada veio de graça. Tudo foi resultado de muito trabalho, muitas vezes madrugada adentro e com o clima que a natureza determinasse. Só uma prioridade sempre norteou suas ações e iniciativas: o interesse da coletividade.
Na vida pública mantém uma postura clara e coerente, jamais colocando em conflito seus discursos e suas práticas, atuando como parlamentar tanto na missão de fiscalizar com seriedade e imparcialidade, como na de legislar e indicar soluções para problemas comuns que afligem toda e qualquer comunidade.
É um amante incondicional do esporte, participando assiduamente como incentivador de diferentes modalidades, além de ser o criador e realizador da Copa Nunes Star de futebol. Seu livre trânsito e bom relacionamento com o Executivo já renderam benefícios para várias praças esportivas. A principal delas, o “terrão da Vila Áurea” foi recentemente revitalizado e iluminado, atendendo a antiga reivindicação daquela comunidade.
Presidente do Diretório Municipal do Partido Republicano da Ordem Social (PROS) em Ponta Porã, Marcelino Nunes de Oliveira cumpre seu quarto mandato consecutivo como vereador, tendo sido, por duas vezes, presidente da Câmara Municipal.
Seguindo a ideologia do líder jamaicano Marcus Mosiah Garvey, quando disse que “Um povo sem o conhecimento da sua história, origem e cultura é como uma árvore sem raízes”, o vereador tem dedicado seu mandato à preservação e ao resgate do patrimônio histórico da cidade, imprimindo, inclusive, fatos relevantes em murais permanentes no edifício do Poder Legislativo.
Colecionador de objetos, fotos, documentos e carros antigos [foi fundador e presidente do Clube de Carros Antigos de Ponta Porã], Nunes modificou o “layout” da Câmara Municipal em duas gestões como presidente da Casa de Leis. Na primeira vez em que assumiu o comando do Legislativo, em 2007, conseguiu, através das mãos do artista plástico Silvio Veron, registrar a trajetória dos pioneiros que desbravaram estas terras e a fisionomia da cidade com suas principais edificações, nos painéis em alto relevo esculpidos no plenário e na fachada do prédio.
Além de oferecer oportunidades de capacitação para os colaboradores da Câmara Municipal, que adquiriram mais autonomia e discernimento em suas atividades, Nunes criou, instalou e fez funcionar em benefício da população, a Estação Digital Comunitária, onde estudantes e pessoas de baixa renda desfrutavam de acesso grátis à Internet. Mas, a unidade acabou desativada por gestões posteriores.
Mais recentemente, em 2015, novamente na presidência, Marcelino fixou dois documentos históricos: no saguão, uma cópia fiel do primeiro mapa da cidade e, na sala da presidência, a visita do então presidente da República, Getúlio Vargas, em agosto de 1941.
Além de criar outros dispositivos legais que geraram benefícios à comunidade, foi autor de leis que declararam como patrimônio histórico da cidade, o “Castelinho” [cuja restauração está em andamento graças à sua pioneira intervenção neste sentido], o prédio da Agência Regional do Trabalho, que foi sede do governo do território de Ponta Porã e, mais recentemente, o quartel do 11º Regimento de Cavalaria Mecanizado.
Agora, com um acervo que reúne mais de duas mil fo¬tos, Marce¬lino pretende contar a his¬tória da Princesinha dos Ervais através de um li¬vro com a participação de famílias tradicionais, personalidades, anôni¬mos, casas antigas, mo¬numentos. Fatos como o ciclo da madeira e da erva mate, criação do Território Federal de Ponta Porã também fa¬rão parte deste livro.
Ele também é o idealizador e criador do Parlim – Parla-mento Interna¬cional (Projeto de Integração entre as Fronteiras), que integra parlamentares de Ponta Porã e de Pedro Juan Caballero (Paraguai) em busca de soluções para problemas peculiares de fronteiras secas como esta, que une dois países numa mesma comunidade. A iniciativa teve repercussão internacional e o vereador acabou sendo convidado para apresentar o projeto em Paris, na França. Lá, ele teve o respaldo de seu empe¬nho e pode também per¬ceber como é a realida¬de em outras fronteiras durante entrega de um livro sobre o Parlin, traduzido para o fran¬cês.
Político ficha limpa, avesso a polêmicas ou ataques e críticas sem embasamento legal, Marcelino Nunes de Oliveira vive diariamente a missão de conversar com a população, ouvir suas prioridades, ao mesmo tempo em que apoia interesses de entidades de classe, como professores, comerciantes, trabalhadores rurais e servidores públicos. Como gestor, sempre teve suas contas aprovadas e jamais seu nome foi envolvido em qualquer tipo de questionamento, investigação ou processo.
Marcelino não de identifica com a prática da demagogia e dos interesses fisiológicos, muito menos de “blá-blá-blá” e falsas promessas. Ele cultiva a política de realização, valorizando a criatividade e a racionalidade para edificar uma evolução constante e ininterrupta dos espaços comuns e dos dispositivos legais sempre em busca de uma vida melhor para todos os fronteiriços.
Sem dúvida, haveria ainda muito mais para contar sobre a trajetória política do vereador Marcelino Nunes de Oliveira. Mas, para quem vive em Ponta Porã, trabalha e respeita esta cidade privilegiada por abrigar uma comunidade valorosa, basta saber que ele retribuiu com muito trabalho e dedicação cada um dos votos que recebeu nestes quatro mandatos de vereador e acredita que ainda há muito que fazer pela fronteira.
Isso, lógico, com simplicidade e concentração nas metas que forem definidas, mantendo a humildade e aquele papo curto e grosso que só entende quem esteve lá. Afinal, mesmo com o passar dos anos, Marcelino continua sendo o “Menino da Vila Áurea”.⁠⁠