Rede Global de Jornalismo Investigativo passa a contar com novo membro do Brasil

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print
Redação Portal IMPRENSA
Contando com mais de 200 organizações de mídia de 82 países, a Rede Global de Jornalismo Investigativo (Global Investigative Journalism Network – GIJN)) anunciou nesta quarta (24) a inclusão de 8 novos membros, incluindo a agência brasileira de jornalismo de dados Fiquem Sabendo.
Especializada na Lei de Acesso à Informação (LAI), a Fiquem Sabendo tem mais de 600 publicações e de 5 mil assinantes da newsletter quinzenal “Don’t LAI to me“.
A agência conquistou em 2019 o primeiro prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados e o segundo lugar no prêmio Livre.Jor Jornalismo-Mosca.
Crédito: Reprodução

Além da Fiquem Sabendo, a GIJN conta com outra iniciativa brasileira de jornalismo investigativo, a Agência Pública.

Também provenientes de países como Grécia, Zâmbia, Colômbia, Paquistão, Reino Unido e EUA, os novos membros da GIJN foram aprovados de forma unânime pelo conselho de gestão da entidade. Eles foram selecionados a partir de um grupo de 40 candidatos, num processo que levou seis meses.
“Esse é um grupo extraordinário de jornalistas, que defendem o interesse público em diferentes lugares do mundo”, disse David Kaplan, diretor-executivo da GIJN.