Relatório alerta para retração da liberdade no mundo pelo 13º ano seguido

Redação Portal IMPRENSA*

A Freedom House divulgou esta semana a nova edição de seu relatório Liberdade no Mundo. O documento registrou diminuição dos indicadores de liberdades sociais, inclusive a de imprensa, e dos direitos civis no mundo pelo 13º ano consecutivo.

Crédito: Reprodução

O levantamento constatou que a liberdade de imprensa diminuiu em quatro das seis regiões do mundo e que o número de países em que os índices de liberdades declinaram cresceu mais do que o de países em que foram registradas evoluções. Repressão, agressões, ameaças, detenções e assassinatos aumentaram significativamente em diversos países, como já demonstraram outros relatórios divulgados no fim do ano passado.

Na era digital, as redes sociais tornaram-se uma arma a mais na tentativa de silenciar ou intimidar a imprensa investigativa. Além disso, as ações de governos autoritários para tentar controlar o ambiente virtual têm aumentado. Na América Latina, por exemplo, recentemente o governo de Nicolás Maduro anunciou a intenção de criar uma lei para restringir o acesso e aumentar o controle sobre a internet no país.

O relatório destaca ainda a multiplicação de movimentos repressivos na América Latina, como na Venezuela e na Nicarágua, e processos eleitorais marcados pela violência política, como no Brasil e no México.

Incluído no grupo de nações livres, o Brasil perdeu três pontos no ranking de países com maiores alterações nas liberdades em 2018. O índice foi igual ao da China, Camarões, Benin, El Salvador, Guatemala, Moldávia, Romênia e Senegal.

O relatório faz um alerta sobre o papel dos Estados Unidos na dinâmica das liberdades, ressaltando o fato de que outros governos observam o que tem sido feito pela gestão de Donald Trump. Nesse contexto, a saída do país de engajamentos globais favoráveis à democracia e sua aproximação comercial com países de perfil menos democrático contribui para o cenário atual de declínio das regras democráticas.

“Desafios para a democracia nos Estados Unidos têm efeitos desmedidos além das fronteiras americanas. Outras nações observam o que está acontecendo nos Estados Unidos e seguem o comportamento de seus líderes. A contínua deterioração da democracia americana acelerará o declínio da democracia em todo o mundo”, destacou o presidente da Freedom House, Michael J. Abramowitz.

A Freedom House é uma organização internacional sem fins lucrativos com sede nos Estados Unidos. Fundada há 60 anos por personalidades como Eleanor Roosevelt, a instituição monitora a liberdade ao redor do mundo e promover o respeito à democracia e aos direitos humanos.

Acesse a íntegra do relatório.

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book