Repórter: em 2017 é uma das piores profissões do ano

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Um levantamento da consultoria CareerCast, dos Estados Unidos, listou as piores profissões para se trabalhar em 2017. Repórter de jornal aparece em primeiro lugar, seguido de profissionais de rádio e TV. O estudo avalia 200 profissões de diversas áreas e leva em consideração perspectivas de crescimento, renda, condições de trabalho e grau de estresse., informou a ABI.

A expectativa de crescimento da profissão de repórter de jornal é negativa: -8%; a dos profissionais de TV é -9%. A terceira pior profissão é lenhador, a quarta militar e a quinta controladores de pragas urbanas.
A consultoria cita a extrema pressão e os prazos apertados associados à profissão de jornalista, sobretudo aos que cobrem política, entre as causas que podem explicar a posição no ranking. E relembra ainda a queda na expectativa de emprego na área, sentida nos últimos anos.
O ranking completo está disponível neste link (em inglês).