Repórteres da BBC pedem correção de salários desiguais

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Um grupo de representantes das mulheres jornalistas da BBC fez um apelo neste sábado para que a emissora britânica “corrija todas as decisões de salários desiguais”, informou o “Financial Times”. A medida acontece após a notícia de seis apresentadores (homens) do canal concordarem, na sexta-feira, em reduzir seus salários, para remediar a diferença salarial entre homens e mulheres.

No fim da semana, a BBC informou que Huw Edwards, Nicky Campbell, John Humphrys, Jona Sopel, Nick Robinson e Jeremy Vine recebrão menos — mas não especificou quanto menos.

Para o BBC Women (Mulheres da BBC, em tradução livre), que representa 170 jornalistas e produtoras, a medida não é suficiente. Segundo o “FT”, grupo disse que a emissora “deve agora se concentrar em uma estratégia abrangente, e não em alguns indivíduos de alto escalão”, para resolver o problema da diferença salarial entre homens e mulheres.

Desde julho do ano passado, as funcionárias da emissora de financiamento público britânica têm protestado contra a diferença salarial, quando um relatório emitido pela BBC revelou que apenas um terço dos executivos mais bem pagos (que ganham mais de £ 150 mil por ano por ano) eram mulheres; além de grandes diferenças nos salários dos co-apresentadores dos mesmos programas.

“Nos últimos seis meses, temos pedido um mecanismo transparente e sistemático para enfrentar a desigualdade salarial para as mulheres em todos os níveis, especialmente aqueles que trabalham em papéis menos remunerados”, escreveu o BBC Women. “Esperamos que a administração da BBC aproveite a oportunidade para mudar a cultura para futuras gerações de homens e mulheres trabalhadoras”.