Risco e segurança no jornalismo na América Latina

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Novo curso gratuito em espanhol. Inscrições abertas!

Há vários anos, a América Latina tem sido uma das regiões mais perigosas para exercer o jornalismo. Somente em 2017, de acordo com o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), pelo menos oito jornalistas foram assassinados na região por realizar seu trabalho, embora estejam investigando pelo menos mais seis casos.

O assassinato, no entanto, não é o único perigo que a liberdade de imprensa enfrenta: ameaças, perseguições, espionagem às suas comunicações digitais e até mesmo perseguições judiciais são parte do cotidiano dos jornalistas.

É neste cenário e com o objetivo de oferecer ferramentas para melhorar esta situação, que o Centro Knight para o Jornalismo nas Américas e a International Women’s Media Foundation (IWMF)oferecem o curso gratuito em espanhol “Risco e segurança no jornalismo na América Latina: passos práticos para a autoproteção”, ministrado pela jornalista e defensora dos direitos humanos Claudia Julieta Duque de 26 de março a 22 de abril.

Clique aqui para saber como se inscrever.

“Avaliar sua própria situação de risco permitirá que os jornalistas obtenham o conhecimento necessário para responder a ameaças concretas e elaborar respostas e planos de segurança”, disse Duque. “Em uma região como a América Latina, esse tipo de resposta está se tornando cada vez mais urgente, já que é visível que os Estados deixam a desejar quando se trata de proporcionar garantias reais para o exercício do jornalismo”.

A partir de 26 de março e durante cinco semanas, os participantes podem aprender os conceitos de risco e ameaça e avaliar seus próprios riscos. Eles também conhecerão os riscos que podem enfrentar no mundo digital e estratégias para proteger não só eles mesmos, mas suas fontes. O curso também oferecerá ferramentas para que os jornalistas desenvolvam um plano de autoproteção e oferecerá conselhos para a gestão do estresse e do trauma através da análise de experiências de resiliência em jornalistas vítimas desses eventos.

Como parte desta autoproteção, o curso também oferecerá uma compreensão do marco jurídico interamericano para a proteção de jornalistas, como a Convenção Americana sobre Direitos Humanos, bem como os mecanismos de emergência disponíveis.

O curso consistirá em videoaulas, leituras, fóruns de discussão e questionários semanais.

Inscreva-se agora neste MOOC gratuito em espanhol, que será realizado entre 26 de março e 22 de abril.