Secretaria de Educação segue decisão dos municípios de iniciar aulas online no MS

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

No começo do mês, Valdir Júnior esteve com a secretária Maria Cecília (Foto: Edson Ribeiro)

Willams Araújo

A SED (Secretaria de Estado de Educação) decidiu seguir a mesma posição dos municípios de iniciar aulas das escolas estaduais por meio de videoconferência.

O anúncio foi feito na tarte desta quinta-feira (25) pela titular da pasta, Maria Cecília Amendola da Motta, durante coletiva à imprensa.

A REE (Rede Estadual de Ensino de MS) vai retornar às atividades de forma remota a partir da próxima segunda-feira, 01 de março.

Participaram da coletiva, além de Maria Cecília, o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Sérgio Murilo, e do superintendente de Políticas Educacionais da SED, Hélio Daher.

A definição saiu após reunião realizada pela equipe do COEMS  (Centro de Operações Emergenciais) com a SED e referendada pelo Prosseguir, na terça e quarta-feira, respectivamente.

Com a decisão, mais de 194 mil estudantes matriculados em 347 unidades de ensino da REE voltarão às aulas de forma não presencial a partir de segunda-feira (1), modalidade essa já adotada durante a suspensão das atividades em 2020.

A ideia inicial defendida pelo governo era que as prefeituras seguissem o calendário escolar defendido pela SES, que previa volta às aulas presenciais no dia 1º de março.

Na última terça-feira (23), durante assembleia-geral, na Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande, os prefeitos aprovaram o retorno às atividades nas escolas municipais de forma on-line por um período de 30 dias, antes da volta às aulas presenciais.

Além do posicionamento contrário da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de MS) sobre o início do ano letivo, os prefeitos alegam uma série de fatores para o retorno das aulas de forma online na Rede Municipal de Ensino, como aguardar a continuidade do calendário de vacinação no Estado e o fato de 38 novos prefeitos não terem tido tempo hábil para a transição de cargos.

Na assembleia-geral, os gestores entenderam necessária a prorrogação das aulas presenciais para o mês de abril, para que os municípios possam se adequar ao Protocolo de Retorno as Aulas.

A medida tomada pela Secretaria de Educação é vista como providencial pelo presidente da entidade municipalista e prefeito de Nioaque, Valdir Júnior, como forma de preservar vidas de professores e alunos, sobretudo de familiares, diante do risco de novas contaminações pela Covid-19 (novo coronavírus).

Para Valdir Júnior, a decisão da secretária Maria Cecília foi acertada e com certeza vem ao encontro dos anseios dos gestores públicos e da população dos municípios que estão preocupados com o grau de infecção da doença, conforme os boletins diários divulgados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

No começo do mês, o dirigente esteve com a secretária de Educação tratando de vários temas relacionados ao setor, principalmente o calendário de retorno às aulas e o convênio entre o estado e prefeituras para manutenção do transporte escolar. Na ocasião, acompanhado do 2° secretário da entidade e prefeito de Alcinópolis, Dalmy Crisostomo da Silva.
UNDIME

Em reunião com Valdir Júnior, na quarta-feira (24), a presidente da Undime-MS (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de Mato Grosso do Sul), Manuelina Cabral, anunciou apoio à decisão tomada pelos prefeitos.