Silvio Santos é acusado de censurar telejornal SBT Brasil para agradar Bolsonaro

ss
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Silvio Santos é acusado de censurar telejornal SBT Brasil para agradar Bolsonaro

Para não irritar o presidente Jair Bolsonaro, Silvio Santos teria vetado a edição de sábado (23) do telejornal SBT Brasil.
O problema teria ocorrido após críticas de Fábio Wajngarten, chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social do Governo Federal, ao deputado federal Fábio Faria (PSD-RN), que é marido de uma das filhas de Silvio Santos, Patrícia Abravanel.
Wajngarten teria reclamado a Faria da linha editorial do SBT Brasil em sua cobertura do vídeo da reunião ministerial do governo Bolsonaro.
Crédito: Reprodução

Ao ficar sabendo da crítica, Silvio Santos teria ordenado que o vídeo, liberado à imprensa a pedido da defesa do ex-ministro Sergio Moro, deixasse de ser mencionado na edição de sábado do SBT Brasil. A direção do telejornal teria argumentado que isso seria estranho, pois o tema havia sido amplamente abordado na edição da noite anterior.

Silvio Santos então teria ordenado que o telejornal fosse vetado na íntegra. Isso acabou ocorrendo. Em seu lugar foi exibida uma reprise do programa “Triturando”.
Pelo Twitter, contudo, o deputado Fábio Faria negou que o sogro tenha vetado o telejornal por conta de reportagem sobre a reunião ministerial.
“Mentira, mentira, mentira. Jamais houve reclamação do governo sobre a divulgação do famoso vídeo no SBT. O governo comemorou o vídeo. Jamais o Silvio aceitaria qualquer tipo de interferência.”
Reações
A Federação Nacional dos Jornalistas divulgou nesta segunda (25) nota afirmando que a “censura no SBT é violação grave do direito à comunicação”.
“Apesar de ser um grupo privado, o SBT opera um canal de televisão que é uma concessão pública e, portanto, está sujeito ao cumprimento de obrigações legais muito claras”, acrescenta a nota.
Repórter de política do Correio Braziliense e ex-produtor do SBT Brasil, o jornalista Renato Souza foi na mesma linha, lamentando que “a censura” tenha chegado a “este nível” na emissora de Silvio Santos.
“A emissora é privada, mas a concessão é pública e seu uso deve respeitar o povo, não se render a interesses políticos. Minha solidariedade aos jornalistas do SBT.”