Sindicato Rural e Produfertil implantam projeto “Vitrine de Hortifruti”, atração da 43ª Exporã

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Sindicato Rural e Produfertil com apoio do Senar/MS implantam “Projeto Vitrine de Hortifruti” que será atração na Exporã 2017

O projeto “Vitrine Hortifruti” desenvolvido pela estudante de Agronomia, Malena de Jesus Oliveira May e pela técnica em agronegócio, Atailize da Costa Mann, ganhadora do 1° Lugar no Prêmio Profissionais de Valor do Pro-Fissa, tem investimento na ordem de R$ 70 mil reais com recursos do Sindicato Rural de Ponta Porã e da empresa Produfertil com apoio do Senar/MS.

O projeto “Vitrine Hortifruti” estará presente na 43ª Exporã, de 3 a 12 de março de 2017 no Parque de Exposição Alcindo Pereira, onde os visitantes poderão conhecer os novos manejos de tecnologias em duas estufas.

O projeto vitrine de Hortifrúti tem por objetivo a ampliação do programa Hortifrúti Legal desenvolvido pelo Senar/MS. A vitrine vem de encontro com a necessidade da demonstração dos resultados alcançados através da implantação de uma casa de vegetação (estufa) que será utilizada como uma vitrine e será utilizada por diversos parceiros de segmentos distintos.

A parceria, segundo o presidente do Sindicato Rural, André Cardinal é de vital importância no desenvolvimento do projeto que visa beneficiar os pequenos e grandes produtores do município de Ponta Porã.

Segundo Malena May, de inicio o foco será demonstrar a vitrine como um modelo do programa de assistência técnica trazendo novas tecnologias a ser utilizadas pelos produtores participantes do programa Hortifruti Legal, em sequência será buscado a utilização no meio acadêmico, a utilização da área da vitrine para experimentos e estudos a serem realizados pelos acadêmicos das universidades da região, e também para visitação dos alunos da rede pública de ensino, na faixa etária de ensino fundamental, para apresentar-lhes o meio agrícola além de utilizar como demonstrativo de produção de alimentos orgânicos e sustentáveis.

O projeto atende três tipos de público: os assentados que fazem parte do Programa Hortifrúti Legal, os estudantes de cursos técnicos e superior, e os estudantes do ensino fundamental das escolas da cidade, e atende também os sócios do Sindicato Rural de Ponta Porã.

As propostas de valor do projeto também se diferenciam em função do público alvo, para os assentados será uma oportunidade de conhecer e entrar em contato com novas formas de produção e tecnologias que poderão ser empregadas nas pequenas propriedades para a geração de renda para as famílias.

“Para os estudantes de cursos técnicos e graduação as estufas fornecerão a oportunidade de experimentação e estudos gerando resultados para a produção de alimentos orgânicos e sustentáveis na região, e aos estudantes do ensino fundamental as estufas darão a oportunidade do conhecimento a partir das visitas que serão programadas durante a feira agropecuária (Exporã).  E para os produtores rurais, que são sócios, o projeto ajudará nas despesas que até o momento são custeadas pela anuidade paga pelos sócios do Sindicato Rural de Ponta Porã”, pontuou Malena de Jesus Oliveira May.

Em visita a estufa no Parque de Exposição, no mês de janeiro estiveram presentes, os representantes da Produfertil: Gilberto Alves de Souza, Rose Ritomi Tominaga Schuaiga, Adriano José Alessio, Carlos Jardim; presidente do Sindicato Rural Dr. Andre Cardinal, Malena de Jesus Oliveira May, Atailize da Costa Mann e Joaquim Aparecido Carvalho.

Joaquim Aparecido Carvalho, mencionou ao Jornal Che Fronteira que as estufas tem 30 metros de comprimento por 8,60 metros de largura e esta sendo cultivado tomate, sendo dois cultivares de tomate um salada e outro saladinha, são 480 plantas com duas hastes em cada planta, em uma estufa”.

A próxima estufa será instalada no dia 27 de fevereiro, mencionou Joaquim Carvalho, nas plantas é aplicado uma solução nutritiva e é feito um controle de pragas e doenças de acordo com o desenvolvimento das plantas. No projeto tem três pessoas trabalhando no trato cultural.

Fotos: Léo Veras