TJ e MP entram com 36 ações contra jornalistas

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

nova-gazetaJuízes e promotores entraram com 36 ações em pelo menos 15 cidades no Paraná contra jornalistas da “Gazeta do Povo”, de Curitiba. Os magistrados pedem indenizações por danos morais por reportagens sobre seus supersalários, publicada em fevereiro deste ano no jornal, destacou a ABI.

As ações somam R$ 1,3 milhão em pedidos de indenizações. Como os processos estão espalhados em diferentes municípios, cinco jornalistas que produziram o conteúdo têm sido obrigados a viajar dias seguidos pelo Estado para responder os processos. Na última segunda-feira (6), o repórter Francisco de Souza, um dos processados, publicou um desabafo no Facebook e disse que o grupo está sendo alvo de uma perseguição e opressão por parte do Judiciário.

A “Gazeta do Povo” considera os processos uma tentativa de intimidar a imprensa. A Associação dos Magistrados do Paraná (Amapar) nega e alega que eles exercem o seu direito. A entidade disse que a Gazeta do Povo prestou um “desserviço” e que os pagamentos estavam dentro da lei. Os magistrados dizem que se sentiram “ridicularizados” pelo jornal.

Uma das reportagens revelou que, em média, cada promotor e procurador do Paraná recebeu R$ 101 mil em janeiro — valor bem acima do salário-base de um procurador, que é de R$ 30,4 mil.