Tolerância do Facebook com desinformação de Bolsonaro gera debate nos EUA

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print
Redação Portal IMPRENSA 
Reportagem de Harrison Mantas publicada nesta terça (3) no site da escola norte-americana de jornalismo Poynter denuncia que o Facebook Brasil não está tratando com o rigor necessário a desinformação relativa à pandemia produzida pelo presidente Jair Bolsonaro.
Baseada em estudo da agência brasileira de checagem de fatos Lupa, que avaliou 29 exemplos de desinformação sobre a crise sanitária divulgados por Bolsonaro, a reportagem destaca que, dependendo do país, as políticas do Facebook contra a desinformação variam e podem ser mais tolerantes às fake news.
Crédito: Reprodução Poynter
https:// 

O texto ressalta que a pesquisa da Lupa se debruçou sobre vídeos publicados no Facebook e transmitidos pela plataforma nas lives semanais de Bolsonaro. Foram analisadas passagens em que o presidente questiona o mérito do distanciamento social, promove dúvidas sobre a eficácia do uso de máscaras e defende o uso da hidroxicloroquina para o tratamento da covid-19.

Procurado pela reportagem, o Facebook alegou em um comunicado que nenhum dos 29 exemplos levantados pela Lupa violaram suas políticas contra desinformação relativa a covid-19.
“Embora proibamos afirmações falsas sobre tratamentos não comprovados e medidas de segurança, como distanciamento social, permitimos discussões sobre o impacto de medidas como lockdows ou desenvolvimentos em pesquisas científicas”, disse a plataforma. “Essas políticas se aplicam a todos e nós as aplicamos a governantes eleitos em todo o mundo, inclusive no Brasil.”