Trump: jornalistas detidos podem pegar até dez anos

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

 

Detidos pela polícia ao fazer a cobertura de protestos contra a posse do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, seis jornalistas receberam acusações de crimes graves, podendo ser condenados a até dez anos de prisão e multa de US$ 25 mil (R$ 80 mil), destacou a ABI.

Esses profissionais de mídia estão dentre os cerca de 230 detidos em manifestações em Washington na última sexta-feira (20). Nos protestos, houve depredação e confronto com agentes de segurança há poucas quadras do trajeto do desfile presidencial, que fez parte da cerimônia de posse de Trump.

O registro de queixa contra os jornalistas foi apurado pelo jornal britânico “the Guardian”. Após serem liberados no sábado (21), eles foram acusados com o nível mais grave de infração da lei de protestos do Distrito de Colúmbia -eles negam comportamento inadequado.

“Essas acusações são claramente inapropriadas, e estamos preocupados que elas enviem uma mensagem aterradora para jornalistas envolvidos na cobertura de futuros protestos”, afirmou Carlos Lauría, diretor do programa para as Américas do Comitê de Proteção de Jornalistas (CPJ). “Exigimos que as autoridades em Washington retirem as acusações imediatamente.”

As acusações contra os jornalistas ocorrem em um momento de tensão entre a administração Trump e os meios de comunicação. Um dia após a posse, o republicano afirmou em visita à CIA (serviço secreto americano) que está em “guerra” com a mídia.

Informações da Folha de S.Paulo – Legenda: Manifestante limpa os olhos após ser atingido por spray de pimenta