Velório de Diego Maradona começa na Casa Rosada na Argentina

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Por G1

Velório do Maradona na Casa Rosada — Foto: Reprodução/GloboNews

Velório do Maradona na Casa Rosada — Foto: Reprodução/GloboNews

O corpo de Diego Armando Maradona começou a ser velado por volta das 6h desta quinta-feira (26) na Casa Rosada, a sede do governo da Argentina. O início teve um pequeno tumulto quando os portões foram abertos, mas a situação logo foi controlada.

O público começou a entrar na sede do governo argentino aos poucos, e torcedores emocionados jogam flores sob o caixão, que está coberto com camisas da Argentina e do Boca Juniors.

Uma multidão saiu às ruas de Buenos Aires em plena pandemia para lamentar a morte do ídolo desde o final da noite desta quarta-feira (25) e lota a região a região central de Buenos Aires.

O governo do presidente Alberto Fernández declarou luto oficial de três dias, e estima-se que cerca de 1 milhão de pessoas participem do funeral. Maior jogador da história da Argentina e lenda do futebol mundial, Maradona morreu aos 60 anos, após sofrer uma parada cardiorrespiratória em casa.

Fãs de Maradona se reúnem à frente do palácio presidencial da Casa Rosada em Buenos Aires — Foto: Martin Villar/Reuters

Fãs de Maradona se reúnem à frente do palácio presidencial da Casa Rosada em Buenos Aires — Foto: Martin Villar/Reuters

O corpo de Maradona chegou à Casa Rosada por volta de 1h30. Sua mulher, Claudia, e seus filhos estão no local, e a cerimônia é realizada com a presença dos familiares.

O sepultamento será nos Jardins de Bella Vista, na mesma capela onde foi realizado o velório do ex-presidente argentino Néstor Kirchner, que morreu há dez anos. A imprensa argentina diz que o caixão de Diego estará fechado.

A imprensa local diz que jogadores da seleção argentina de 1986, que ganharam a Copa do México junto com o craque argentino, também estão no palácio presidencial. Jornalistas de todo o mundo solicitaram credenciamento para participar do evento.

Após um início de tensão com a chegada do corpo de Diego, o clima ficou mais sereno na Plaza de Mayo. Torcedores não param de cantar em homenagem ao ídolo, e grande parte dos presentes não usa máscaras de proteção em plena pandemia.

A Argentina é o nono país com mais casos de Covid no mundo (quase 1,4 milhão) e e o décimo em número de mortes (37,7 mil).

Argentinos choram a morte de Diego Maradona em Buenos Aires — Foto: Natacha Pisarenko/AP

Argentinos choram a morte de Diego Maradona em Buenos Aires — Foto: Natacha Pisarenko/AP