Violência a jornalistas cresce e Fenaj defende criação de protocolo de atuação policial em manifestações

Redação Portal IMPRENSA

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) lançou oficialmente nesta sexta-feira (18) o Relatório da Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil – 2018. O documento constata crescimento de 36,36% no número de agressões a profissionais de imprensa em relação ao ano anterior.

Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil

Durante o evento de apresentação do levantamento, a presidente da Federação, Maria José Braga, defendeu que o poder público e as empresas de comunicação adotem com urgência medidas para garantir a integridade dos profissionais.

Entre as medidas defendidas pela Fenaj, estão a criação de um protocolo de atuação das polícias em manifestações públicas e a garantia, por parte das empresas de comunicação, de adoção de providências para diminuir os riscos para cada situação específica. “Essas medidas podem e devem variar. Em um caso pode ser necessário, por exemplo, a utilização de equipamentos de proteção individual. Em outro, pode ser melhor o jornalista não estar sozinho”, afirmou a dirigente.

Na última quarta-feira (16), o fotógrafo Daniel Arroyo, da Ponte Jornalismo, tornou-se uma das mais recentes vítimas da falta de protocolos de ação em atos públicos. O profissional teve o joelho direito ferido ao ser atingido por um tiro de bala de borracha disparado a curta distância pela Polícia Militar. O fato aconteceu durante uma manifestação popular contra o aumento da passagem dos ônibus.

Crédito: Ponte Jornalismo

Acesse a íntegra do relatório.

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book